Afetividade na Vida Conjugal

Submitted by Dr. Roberto Silva on Wed, 05/22/2019 - 12:19

A falta da afetividade no relacionamento conjugal é a principal razão para uma crise no relacionamento. Por isso, o cuidado afetivo exige uma atenção contínua.
Quando um dos cônjuges ou os dois sofrem de carência afetiva, torna-se necessário trabalhar o lado individual para que ambos possam ter maior facilidade de expressar afeto um ao outro.
Cada pessoa tem uma maneira própria de ser, e o mundo é melhor por ser assim. Mas temos em comum o fato de nos relacionarmos uns com os outros e sabermos que os relacionamentos são mais frutuosos quando são marcados pelo afeto, ou seja, uma manifestação de carinho que se tem por alguém e que se expressa de diversas maneiras, embora com o mesmo objetivo: demostrar que aprecia e ama. Para uns, demonstrar afeto é fácil e prazeroso; para outros, é difícil e até constrangedor. Tudo depende da relação que se tem com a vida.
Quem não foi desejado pelos pais nem recebeu afeto nos primeiros anos de vida, provavelmente, tem mais dificuldades de acreditar no amor do que quem viveu a experiência de ser acolhido e amado desde sempre. Mas tanto um caso como o outro tem necessidade de experimentar o amor traduzido em afeto e até mesmo, de maneira inconsciente, é inclinado a buscá-lo em tudo o que faz.
As primeiras relações da vida de um indivíduo determinam sua capacidade de dar e receber carinho na vida adulta. Quando as crianças não recebem carinho ou sofrem com rejeição e abandono, costumam desenvolver uma carência afetiva que acompanha o indivíduo até a vida adulta. A maneira como a criança interpreta fatos traumáticos durante a infância também interfere diretamente no seu comportamento afetivo.
Vale destacar que o excesso de carinho e cuidado pode ser tão prejudicial quanto a ausência de zelo. Isso porque pessoas que cresceram cercadas de atenção acabam se tornando muito dependentes dos pais e, como consequência, tendem a sentir que não são capazes de fazer nada sozinhas, inclusive amar a si mesmas.
O afeto tem um poder extraordinário de nos revigorar, e quem já recebeu um abraço em momentos difíceis entende bem o valor deste afeto. E não para por aí! Uma boa risada, um olhar amoroso, uma mão amiga, um coração sincero que nos acolhe, independente dos nossos erros, e tantas outras expressões de afeto, trazem sempre um colorido especial na vida de cada um.

A importância do afeto na relação conjugal

Quando o assunto é relacionamento conjugal, o afeto é fundamental. Não é possível pensar em um casal de namorados que raramente se abracem e se beijem, poucas vezes se olham trocando cumplicidade. Não que o afeto seja só isso, mas digamos que seria o mínimo para um casal que se ama. O afeto é também uma forma de diminuir a distância entre os cônjuges no relacionamento.

Sinais de carência afetiva:

  • Ciúme excessivo e hábito de controlar o cônjuge;
  • Dependência de outras pessoas para se sentir feliz;
  • Tendência a aceitar qualquer coisa dentro do relacionamento por medo de ficar sozinho;
  • Dificuldade de manter relacionamentos duradouros;
  • Tendência de abandonar os planos pessoais e viver apenas a vida do cônjuge;
  • Necessidade de chamar atenção;
  • Hábito de se colocar como vítima das situações.


Como trabalhar a carência afetiva:

  • Independencia - Descubra o prazer da sua própria companhia. Antes de se relacionar com qualquer pessoa, você deve aprender a apreciar sua própria companhia. Passar algumas horas lendo um bom livro, assistindo a um filme ou até mesmo refletindo sobre questões pessoais é importante para qualquer relacionamento; 
  • Valorização - Aprender a gostar de si mesmo é essencial para manter um relacionamento saudável com o outro, e o autoconhecimento é fundamental para este processo. Portanto, conheça suas qualidades, aprenda a lidar com as suas limitações, lembre-se sempre do seu valor e de todas as suas conquistas. Dê a você tudo aquilo que busca no outro: elogie-se, tire férias, saia para passear. Pare de sofrer com a falta de amor próprio  e permita-se amar ao outro sem se tornar dependente.
  • Expressão - O vínculo afetivo nos une à outra pessoa, nos permitindo oferecer a nossa atenção, escuta e compreensão. É um ato de amor em que não se espera nada em troca. Nessa ligação existe a intimidade, a confiança, o carinho e o cuidado mútuo, sendo essas características básicas.
  • Aceitação - Aceite a maneira como o outro demonstra carinho. Existem várias maneiras de demonstrar amor e cuidado que vão muito além do "eu te amo". Gestos simples como preparar a comida preferida do parceiro;  deixar um bilhete de bom dia na geladeira e se preocupar com as questões da vida cotidiana também são maneiras de amar. Aceite a maneira como as pessoas demonstram o amor e reconheça essas pequenas demonstrações.

Sem afeto é impossível um casamento feliz!