Resolvendo os conflitos conjugais

Submitted by Dr. Roberto Silva on Sat, 08/17/2019 - 00:00

No casamento, mesmo havendo boa comunicação, haverá sempre algum desentendimento. As pessoas são diferentes, têm opiniões próprias sobre muitas coisas. Além disso, quando se casam, logo descobrem que os respectivos cônjuges não possuem todas aquelas qualidades que idealizaram e visualizaram antes do casamento. Então, tentam “mudar” o cônjuge. 
Aí começam os conflitos! Principalmente porque o “método de ensino” geralmente adotado inclui queixa, crítica, ironia, sarcasmo, sermões e até choradeira... 
A maioria atribui seus conflitos às circunstâncias adversas: o trabalho não é bom, o salário é insuficiente, o apartamento é pequeno, o vizinho é barulhento, as crianças dão muito trabalho... Entretanto, o verdadeiro problema é o ego. As pessoas são naturalmente egoístas; buscam o próprio interesse; exigem liberdade irrestrita; e ainda contam com a aprovação incondicional do outro. 

Como, então, resolver os conflitos conjugais? 

1- Estabeleça o diálogo - Quando o casal decide resolver os conflitos de maneira adequada necessariamente terá que ir pelo caminho do diálogo. No diálogo, além de expressar opiniões cada cônjuge tem a oportunidade de expressar seus sentimentos.

2 - Cuidado com as emoções - Entendendo que o casal busca resolver os conflitos, é necessário que as emoções estejam sob controle para evitar palavras e ações que firam a outra pessoa.

3 - Seja objetivo - Não perca o foco do diálogo. Não deixe que outros assuntos entrem no diálogo quando você está tentando resolver um questão específica. Não dê voltas; não use indiretas; não manipule.

4 - Não use o "reforço negativo" - A critica, a acusação, o julgamento, as famosas expressões: "eu não te disse", "você não me ouve", não devem fazer parte do diálogo. A pessoa que guarda ressentimentos será tentada a usá-los como arma contra o outro.

5 - Respeite as diferenças - Cada cônjuge tem a sua origem; maneira de pensar; costumes, etc... Não se trata de algo certo ou errado, mas algo diferente. É importante respeitar as diferenças e buscar o ajuste.

6 - Não transfira sentimentos - As situações que estão fora do seu relacionamento conjugal não devem interferir no seu comportamento dentro desta relação. Afinal, o seu cônjuge não tem culpa daquilo que afetou o seu equilibrio emocional.

7 - Entenda a hora de parar - Quando não se chega a um acordo é preciso parar por um tempo para recomeçar o diálogo depois. Quando isto não acontece surge o perigo de acionar os sentimentos e entrar em uma crise.

"Em um casamento não existe ganhador ou perdedor.
Ou os dois ganham ou os dois perdem!"