Acordo - A base para andar juntos

Submitted by Dr. Roberto Silva on Sat, 06/22/2019 - 00:00

Podem duas pessoas andarem juntas se não houver compromisso, acordo entre elas? 
O que podemos entender como acordo? Devemos entender como concordância, pacto, compromissos estabelecidos de forma clara entre as partes, harmonia no propósito, uma combinação, uma consonância, que talvez traduza melhor o que seja acordo, pois é manifestar o mesmo som, harmonia no que se toca e faz.
É impossível que duas pessoas andem juntas se possuem propósitos diferentes, pensamentos diferentes e metas diferentes. É impossível que haja harmonia quando cada um defende os seus interesses e vontades.
Pode um casal andar junto se não houver um acordo de propósitos, uma vontade expressa harmoniosa entre os dois? Não, de forma alguma.
Esta é a maior razão de separação; de frustação nos casamentos; pois não existe um objetivo comum. Podem não pensar da mesma maneira, o que é salutar, mas o propósito deve ser um só. Se não for, cada um irá puxar para o seu lado, para o realizar do seu desejo e vontade. Quando um casal compreende isto, então, existe a possibilidade de andar juntos e construir algo juntos; caso contrário somente o fracasso e separação.
Por que nos frustamos? Porque não vemos nossas expectativas atendidas; por desistirmos; por não vermos perspectiva de ter os nossos sonhos realizados. Quando dois estão juntos, mas não existe entre eles um acordo de propósito, onde somente um abre mão, somente um desiste dos sonhos, só um toma a decisão, então não haverá possibilidade de se andar junto.
Na vida podemos andar juntos? Sim, podemos; mas precisamos estar com os mesmos princípios, o mesmo objetivo, sobre as mesmas expectativas e desejos. Quando não estamos fundamentados nos mesmos pricípios, dificilmente se andará junto. Poderão, enquanto as expectativas são atendidas. Quando não, então cada um se afasta, buscando os seus desejos.
Podem duas pessoas andar juntas? Sim, podem; desde que cada uma compreenda o propósito que motiva esta determinação. Mesmo sendo diferentes, as pessoas podem ajustar a maneira de pensar e agir, abrindo mão das expectativas pessoais em favor do objetivo final - estabilidade conjugal.
Compreendendo isso, fazemos disto o nosso propósito de vida. Quando cada um abre mão da sua individualidade e abraça o viver conjugal, sermos um, andamos juntos para realizar o propósito para o qual nos unimos. Aí, o casamento passa a ser uma realidade.